Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva, a sua vinda e certa; e ele descera sobre nos como a chuva, como a chuva serôdia que rega a terra. (Oséias 6:3)

06 A Ceia do Senhor

discipuladoLIÇÃO 06 - A CEIA DO SENHOR

“Todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha.” (I Co.11:26).

 

I. DEFINIÇÃO E HISTÓRIA

A Ceia do Senhor é uma das duas ordenanças ou sacramentos da Igreja (a outra é o batismo nas águas) e foi instituída pelo Senhor na véspera de sua morte (I Co.11:23-30). Quando Jesus compartilhou do pão e do vinho com Seus discípulos naquela noite, Ele estava fazendo uma nova aliança com eles.

A Santa Ceia foi instituída durante a celebração da Páscoa dos Judeus (Mt.26:17-19, 26-30). Esta festividade ainda é realizada nos dias de hoje (conhecido como “Pessach”) e serve para lembrar os judeus da aliança que Deus fez com seus antepassados ao libertá-los da escravidão do Egito (Ex.12:1-15).

Não foi por acaso que a Ceia do Senhor foi instituída na Páscoa. Esta festa é uma metáfora histórica da nossa própria redenção: o Egito representa o mundo (Gl.1:4; Rm.6:17,18); o cordeiro, Jesus (Jo.1:29); o sangue aspergido nos umbrais das portas, o Seu sangue derramado na cruz pelos nossos pecados (Rm.3:24-26; I Pe.1:18-20); os pães sem fermento, a nossa santificação (I Co.5:8).

A Santa Ceia, desde o seu início, sempre foi muito preciosa para a Igreja (At.2:42,46). Os cristãos primitivos celebravam, juntamente com a Ceia do Senhor, uma festa de amor. Nesta festa havia uma refeição comunitária, envio e recebimento de correspondência de outras igrejas locais e uma coleta em dinheiro para viúvas e órfãos (I Co.11:20-22).

II. O SEU SIGNIFICADO

Foi em Cafarnaum, cerca de um ano antes da Sua crucificação, que Jesus proferiu o Seu mais completo ensinamento a respeito da Sua morte (Jo.6:31-35,48-59). Ele afirmou Ser o pão que desceu do céu para a salvação das nações e que era absolutamente necessário que cada um comesse a Sua carne e bebesse o Seu sangue para receber e conservar a vida eterna. Em vista da clara referência feita à Sua morte, vê-se logo a relação entre aquelas Suas palavras e a Ceia do Senhor instituída na Páscoa.

A idéia fundamental desta ordenação acha-se nestas palavras de Jesus: “fazei isto em memória de mim.” (Lc.22:19). Portanto, cada vez que um grupo de cristãos se reúne para celebrar a Ceia do Senhor, está relembrando, de um modo especial, a morte e a ressurreição de Jesus, bem como a promessa de que um dia Ele voltará para buscar a Sua igreja e estabelecer o Seu reino na terra (I Co.11:26; Mt.26:29).

Mas não é só isto. A Ceia também é uma declaração da nossa união com Cristo, pois, ao comermos do pão e bebermos do vinho, nos identificamos com a Sua morte e ressurreição (Rm.6:3-14).

Por fim, a Ceia fala da nossa comunhão uns com os outros, pois, quando a tomamos  juntos, declaramos que estamos unidos e integrados com o Corpo de Cristo, que é a Sua  igreja (At.2:46).

III. O QUE REPRESENTA O PÃO?

O pão representa o corpo de Cristo que foi oferecido por nós (I Co.11:23,24).

A Bíblia nos ensina que, no Seu corpo, Jesus levou não somente os nossos pecados, mas também as nossas maldições e as nossas enfermidades (I Pe. 2:24; Gl.3:13; Is.53:4,5).

IV. O QUE REPRESENTA O VINHO?

O vinho representa o sangue de Cristo que foi derramado por nós (I Co.11:25).

A Bíblia nos ensina que o sangue de Jesus não somente nos purifica de todo pecado, mas também serve de proteção contra as ciladas e acusações de Satanás (Mt.26:27,28; Êx.12:13; Ap.12:10,11).

V. CUIDADOS AO TOMAR A CEIA

Paulo fala sobre o perigo de comer o pão e beber o cálice do Senhor indignamente. O que isto quer dizer? Significa participar da Santa Ceia com pecado não confessado. Isto pode resultar em juízo. Por isso, todo homem deve se auto-examinar, confessando seus pecados antes de tomar a Ceia (I Co.11:27-30)

Paulo também fala sobre comer o pão e beber do cálice sem discernir o Corpo. Isto acontece quando se participa da Ceia sem ser batizado ou estando de mal com algum irmão. Isto também pode trazer juízo. Daí por que quem não é batizado não deve participar da ceia, e quem é batizado deve perdoar aquele que o ofendeu, ou pedir perdão, se for o causador da ofensa, antes de tomar a Ceia (I Co.12:13; Mt.5:23,24; Tg.5:16).

VI. COMO DEVEMOS CELEBRAR A CEIA?

A Bíblia não diz que a ceia só pode ser celebrada uma vez por mês, nem que um pastor tem que presidi-la. Muito pelo contrário, as Escrituras dão a entender que a ceia era celebrada diariamente nas casas dos irmãos (At.2:46).

Sendo assim, é possível tomarmos a ceia quantas vezes quisermos e em qualquer lugar onde estivermos. Podemos fazê-lo sozinhos, com a nossa família ou reunidos com outros irmãos. Nunca esqueça: não se trata de um ritual, mas de uma experiência espiritual com aquele que nos comprou com Seu precioso sangue.

“Quem come a minha carne, e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim também que de mim se alimenta viverá por mim.” (Jo.6:56,57)

 

Wilson Linhares Castro


Áudio: