Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva, a sua vinda e certa; e ele descera sobre nos como a chuva, como a chuva serôdia que rega a terra. (Oséias 6:3)

12 Andando em Novidade de Vida (parte 1)

LIÇÃO 12 - ANDANDO EM NOVIDADE DE VIDA: PECADOS SEXUAIS

 

“Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou.” (I João 2:6)

 

I. O QUE É ANDAR EM NOVIDADE DE VIDA?

Andar em novidade de vida significa viver uma vida condizente com o arrependimento, conforme Atos 26:20: “mas anunciei primeiramente aos de Damasco e em Jerusalém, por toda a região da Judéia, e aos gentios, que se arrependessem  se convertessem a Deus, praticando oras dignas de arrependimento.”. O verdadeiro arrependimento faz com que nos voltemos para Deus (conversão) e nos afastemos do pecado (praticar obras dignas de arrependimento).

Não basta, portanto, apenas mudar a nossa atitude para com Deus, precisamos também mudar a nossa maneira de viver, pois ao verdadeiro arrependimento segue-se uma mudança de comportamento. Infelizmente, há aqueles que, “no tocante a Deus, professam conhecê-lo, entretanto o negam por suas obras, por isso que são abomináveis, desobedientes e reprovados para toda boa obra”. (Tt.1:16).

 

II. O QUE SÃO OBRAS DIGNAS DE ARREPENDIMENTO?

Praticar obras dignas de arrependimento significa andar na vontade de Deus assim como é revelada nas Escrituras, renunciando à vida de pecado. Leia Efésios 4:17-32 e I Jo.3:3-10. As expressões “obras más” (Jo.3:19), “obras das trevas” (Rm.13:12), “obras da carne” (Gl.5:19), “obras mortas” (Hb.6:1) e “obras ímpias” (Jd.15) referem-se à vida de pecado.

 

III. O QUE É VIDA DE PECADO?

Paulo nos dá uma relação do que Deus entende por vida de pecado em Gálatas 5:19-21. Esta lista não é exaustiva, mas apenas exemplificativa, pois no final ele acrescenta: e coisas semelhantes a estas.

Esta relação pode ser dividida em quatro grupos: a) pecados sexuais – prostituição, impureza, lascívia; b) pecados de superstição – idolatria, feitiçaria; c) pecados de relacionamento – inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas; d) pecados de excessos – bebedices, glutonarias.

 

IV. PECADOS SEXUAIS

Deus criou o homem macho e fêmea. Ele, portanto, é o autor do sexo (Gn.2:20-25). A relação sexual, por isso, é pura e santa quando dentro do propósito de Deus. A nossa sexualidade foi ordenada para a procriação e o prazer mútuo, nos limites do casamento (Pv.5:15-23).

1. O que é prostituição? No original grego, a palavra usada é pornéia e indica todas as formas de pecado de natureza sexual, tais como fornicação (sexo entre solteiros), adultério (infidelidade conjugal) e prostituição (vida desregrada ou comércio profissional do sexo) (I Co.6:12-20;  I Ts.4:1-7; Hb.13:4).

2. Por que o sexo pré-conjugal é errado? Porque a relação sexual é a formalização de uma aliança (contrato, compromisso) entre um homem e uma mulher perante Deus. O ato faz com que os dois se tornem uma só carne. Pela mesma razão, Deus odeia o divórcio, pois representa a quebra desta aliança. (Ml.2:13-16; Mt.19:4-9).

3. O que é impureza? No original grego, a palavra usada é akatharsia e significa literalmente “imundícia”. Figuradamente, indica “o uso ilícito dos impulsos sexuais”. Os vícios sexuais estão aqui em foco, tais como a pornografia, a masturbação e o homossexualismo. Apesar de tais práticas serem aceitas como normais pela sociedade de hoje, Deus as reprova (I Co.6:18).

4. Por que a pornografia é errada? Porque Jesus disse que “qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela.” (Mt.5:28). Por isso, deveríamos fazer como Jó: “Fiz aliança com meus olhos; como, pois, os fixaria eu numa donzela?” (Jó 31:1).

5. Por que a masturbação é errada? O sexo foi criado para ser compartilhado a dois, entre marido e mulher, e não de forma egoísta e solitária. Além do mais, a masturbação é quase sempre acompanhada de pornografia ou fantasias eróticas.

No mundo sensual em que vivemos hoje não é fácil viver uma vida de santidade. A melhor maneira de enfrentar este desafio é evitando aquelas situações que sirvam de estímulo para os nossos impulsos sexuais, tais como certos livros, revistas, filmes e lugares.  Paulo orientou não a resistir, mas a fugir da tentação sexual: “Foge, outrossim, das paixões da mocidade.” (II Tm.2:22).

6. Por que o homossexualismo é errado? A Bíblia condena o homossexualismo porque Deus criou o homem “macho” e “fêmea” para que fossem seres heterossexuais e assim preservassem a espécie (Gn.1:28). O homossexualismo é um desvio de comportamento que condena a humanidade à extinção (Lv.18:22; 20:13; Rm.1:25-27;  I Co.6:9).

7. O que é lascívia? No original grego, a palavra usada é aselgeia e significa “sensualidade exagerada”. Está em pauta à conduta assinalada por indulgência sexual irrestrita e pervertida como o exibicionismo, o estupro, a pornografia infantil (pedofilia), o sadomasoquismo, a conjunção carnal com animais e outras perversões semelhantes (Lv.18:6-24).

Vivemos numa sociedade extremamente sensual e liberal. Isto faz com que o nosso discernimento entre o que é certo ou errado na questão da nossa sexualidade fique cada vez mais difícil. Um bom princípio a se seguir é o seguinte: toda atividade ou comportamento que desperta desejos lascivos, tanto em nós mesmos (coisas que vemos e lugares que vamos), como em outros (como nos vestimos e nos comportamos) devem ser evitados.

Viver em santidade (pureza moral) não é algo apenas desejável, mas um imperativo para os que querem fazer a vontade de Deus (I Ts.4:3-8). A Bíblia chega mesmo a declarar que “sem santificação, ninguém verá ao Senhor.” (Hb.12:14).

Todo aquele foi promíscuo quando solteiro, cometeu atos de impureza sexual ou adulterou depois de casado deve se arrepender, confessar, pedir perdão a Deus, cortar todo vínculo de alma e expulsar demônios de imoralidade sexual. 

 

Wilson Linhares Castro